Banner Pro Estrada_728x90
Home Geral Esporte Palmeiras e Peñarol brigam ao final do jogo e confusão chega à torcida

Palmeiras e Peñarol brigam ao final do jogo e confusão chega à torcida

0
0

Apesar da alegria palmeirense pela vitória de virada sobre o Peñarol, e o belo jogo durante os 90 minutos, nem tudo foi festa no Estádio Campeón del Siglo. Ao final da partida, uma confusão generalizada ocorreu em campo e se estendeu às arquibancadas.

O início do entrevero entre jogadores do Palmeiras e do Peñarol não ficou claro, mas o goleiro Fernando Prass começou a discutir com o meia Nandez. O goleiro alviverde ficou pedindo a expulsão do adversário, que peitou o camisa 1.

Na sequência, Felipe Melo chegou na confusão e o meio-campista Myer, que ficou no banco de reservas, foi para cima do camisa 30. O volante alviverde recuou, contido por Zé Roberto e, quando o uruguaio se aproximou, Felipe desferiu dois socos no adversário.

A confusão se ampliou e os atletas tentaram correr para o vestiário, mas o portão estava fechado e impediu o acesso dos atletas. Quando foi aberto, Felipe Melo foi retirado pelos seguranças para o vestiário, enquanto Myer seguia perseguindo o palmeirense aos gritos de “Vem Felipe, no mano-a-mano. Vem pra cima”.

Em seguida, os outros jogadores do Palmeiras chegaram ao vestiário, já contidos pelos seguranças. O atacante Willian bradava que toda a confusão era uma “vergonha”. Fernando Prass gritava com os uruguaios dizendo: “Parabéns, causaram tudo isso. Você é machão, né? Vai tomar no…”. Com os atletas todos juntos, ouviu-se gritos de “aqui é Palmeiras. Vão embora. Chupem essa!”, além de diversos xingamentos em espanhol.

A confusão se estendeu também para as arquibancadas, quando torcedores do Palmeiras e do Peñarol entraram em confronto. Os rivais atiraram latas de lixo e outros objetos entre si, e tentaram se agredir através das grades de proteção.

Os seguranças do estádio e a polícia foram omissos e permitiram que parte dos uruguaios invadissem a torcida do Palmeiras, o que quase iniciou um confronto mais grave. Enfim, a polícia chegou e acalmou a situação, afastando as torcidas adversárias. Após o gol de empate do Palmeiras, uma bomba explodiu no meio da torcida alviverde, o que já havia causado tumulto.

A confusão ocorre justamente contra um adversário uruguaio, que ficou marcado pela declaração de Felipe Melo em sua apresentação. Na ocasião, o volante declarou que daria “tapa na cara de uruguaio se fosse necessário”. Meses depois, o camisa 30 voltou atrás na declaração e disse que se tratava apenas de uma expressão para demonstrar sua vontade em campo.

 

gazetaesportiva

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *