Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Destaque Acusado de trocar tiros com a polícia na periferia de Maceió morre no HGE

Acusado de trocar tiros com a polícia na periferia de Maceió morre no HGE

0
0

PM também registra um assassinato no Benedito Bentes

Ainda são escassas as informações sobre uma troca de tiros ocorrida na madrugada deste sábado (10) entre a Polícia Militar e um suspeito em crimes, no conjunto Denisson Menezes, bairro Cidade Universitária.

É da Polícia Militar a informação de que seis suspeitos armados em três motocicletas estariam cometendo vários assaltos na região, fazendo arrastões. Também chegou à PM a informação de que o bando era violento com suas vítimas.

A PM saiu em diligência e se deparou com os suspeitos que saíram em fuga. Houve perseguição e uma viatura da polícia interceptou dois deles em uma moto. A PM afirma que os suspeitos atiraram contra a guarnição dando início a ‘uma imensa troca de tiros’ e que no revide, um deles foi baleado e socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde deu entrada em óbito. O resto do bando teria conseguido fugir.

O corpo do suspeito, Matheus Marques da Silva, já está no Instituto Médico Legal de Maceió e deverá passar por necropsia para ser, em seguida, liberado para sepultamento.

A PM recuperou uma TV de 32’, três celulares, a quantia de R$ 1.350,00 em espécie, uma moto, uma arma calibre 38 e um simulacro.

Outro crime
Na sexta-feira (09), a polícia foi acionada depois do assassinato de Leonardo Guilherme de Oliveira, de 19 anos, morador do conjunto Selma Bandeira, no complexo habitacional do Benedito Bentes.

Leonardo foi atingido por três disparos. Dois deles perfuraram o tórax do jovem e um acertou a cabeça.

A polícia acha pouco provável que o jovem tenha sido vítima de roubo e acredita se tratar de um crime de execução. Uma Honda CG 125 Fan preta, de placa OXN-7075, foi deixada no local pelos criminosos e ao verificara situação do veículo a PM descobriu que há uma queixa de roubo.

A PC deve investigar se a moto estava com a vítima ou se foi usada pelos assassinos e abandonada no local. Nenhuma linha de investigação deve ser descartada.

Além dos agentes da Delegacia de Homicídios, peritos do Instituto de Criminalística e funcionários do Instituto Médico Legal (IML) foram acionados para procedimentos cabíveis.

alagoas24horas

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *