Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Destaque BRASIL TRF contraria decisão de Moro e absolve Vaccari em processo da Lava Jato

BRASIL TRF contraria decisão de Moro e absolve Vaccari em processo da Lava Jato

0
0

Por maioria de votos, a 8ª Turma do TRF4 considerou que as provas contra o ex-tesoureiro do PT são insuficientes por se basearem apenas em delações premiadas

São Paulo – O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) absolveu nesta terça-feira em segunda instância o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. Ele havia sido condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 15 anos e quatro meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em uma ação penal resultante da 10ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada em março de 2015.

João Vaccari Neto, em depoimento na CPI da Petrobras, na Câmara dos Deputados
Marcelo Camargo / Agência Brasil
Por maioria de votos, a 8ª Turma do TRF4 considerou que as provas contra Vaccari são insuficientes por se basearem apenas em delações premiadas. “A existência exclusiva de depoimentos prestados por colaboradores não é capaz de subsidiar a condenação de 15 anos de reclusão proferida em primeiro grau de jurisdição, uma vez que a Lei 12.850/13 reclama, para tanto, a existência de provas materiais de corroboração que, no caso concreto, existem quanto aos demais réus, mas não quanto a João Vaccari”, disse o desembargador federal Leandro Paulsen ao proferir seu voto.

Agentes encontram pen drive com músicas e filmes na cela de Dirceu e Vaccari
Delator aponta R$ 1 milhão em espécie a ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto
Moro abre ação penal contra João Santana, Marcelo Odebrecht e Vaccari
teste
O desembargador federal João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato no TRF4, defendeu a condenação do ex-tesoureiro do PT, mas foi voto vencido. O TRF4 também aumentou a pena do ex-diretor da Petrobras Renato Duque, condenado por Moro a 20 anos e oito meses de prisão. Com a decisão da segunda instância, a pena foi elevada para 43 anos e nove meses de prisão.

O julgamento desta ação havia sido suspenso no dia 6 de junho, quando o desembargador federal Victor Luiz dos Santos Laus pediu vistas do processo.

Agência Brasil

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *