Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Destaque Suspeito de agredir e estuprar jovens surdas é preso em Maceió

Suspeito de agredir e estuprar jovens surdas é preso em Maceió

0
0

Lucian Ferreira gravou vídeo das agressões; crime aconteceu na semana passada e vídeo viralizou na internet

A Polícia Civil de Alagoas (PC/AL) prendeu, nesta terça-feira (1), o suspeito de agredir e estuprar duas mulheres surdas em Maceió. Ele foi identificado como Lucian Ferreira e seria namorado de uma delas. A polícia ainda não repassou mais detalhes sobre a prisão.

O crime aconteceu na semana passada e um vídeo da agressão foi divulgado e viralizou nas redes sociais. Nas imagens, é possível observar que uma das vítimas tem o cabelo cortado e fica com uma faca pressionada contra o seu tórax por diversas vezes. Maristela Fideli, de 31 anos, foi filmada nua e clamando por misericórdia.

As duas mulheres, Maristela Fideli e Yana, prestaram depoimento na Delegacia da Mulher, no Salvador Lyra, e relataram os acontecimentos. Os três moravam juntos há cerca de seis meses. Segundo elas, Lucian seria usuário de drogas e teria perdido o controle quando ambas se negaram a dar R$ 200 a ele.

De acordo com familiares de Yana, ninguém tinha conhecimento de comportamentos violentos por parte dele. A família sabia somente que ele era ex-usuário de drogas, mas que estaria recuperado do vício. Já a mãe do rapaz teria alegado que ele é bipolar e teve um surto.

A família de Maristela alega que tanto ele quanto a mãe devem pagar pelo crime, já que a mulher teria mantido a vítima em cárcere privado por três dias – da madrugada da quinta para a sexta-feira, quando aconteceu o caso, até domingo.

“Ela levou o filho dela para uma clínica e deixou minha filha sofrendo; escondeu minha filha, deixou em cárcere privado. Quando cheguei na casa dela, estava trancada e ela pegou no braço da minha filha dizendo que ela estava com manhã, mas minha filha não conseguia nem se mexer. Quero que os dois paguem”, disse Albertina Fideli.

Ela afirma que Maristela chegou a ser levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas que, lá, teria sido informado que ela sofreu um assalto. Quando tentou pedir ajuda teria sido impedida. A família só conseguiu encontrar a jovem no domingo, depois de Yana revelar que as duas teriam apanhado e sido estupradas.
gazetaweb

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *