Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Destaque PF diz que Aécio Neves tinha bloqueador de telefone ilegal em casa

PF diz que Aécio Neves tinha bloqueador de telefone ilegal em casa

PF diz que Aécio Neves tinha bloqueador de telefone ilegal em casa
0
0

Advogado do tucano diz que o aparelho foi um presente e nunca usado pelo seu cliente

OSenador Aécio Neves (PSDB-MG) mantinha um bloqueador de sinal telefônico ilegal em seu apartamento no Rio de Janeiro. A revelação está em um relatório da Polícia Federal (PF) que foi entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF). A defesa do senador alega que o aparelho nunca foi usado.

O relatório foi produzido em 5 dezembro de 2017 e anexado em 17 de janeiro de 2018 a uma das ações nas quais Aécio é alvo.

Segundo informações do jornal “O Globo”, o objeto, proibido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), foi recolhido durante a Operação Patmos, originada após a delação de executivos da JBS.

 

O perito da PF Daniel França de Oliveira Melo explica que “a luz indicativa de energização na porção superior do aparelho ligou, indicando funcionamento. A eletrônica presente e os elementos de antena sugerem o uso do aparelho para a geração de ruído de radiofrequência para causar interferência nos sinais de redes de comunicação móvel celular, objetivando a indisponibilidade de serviço (bloqueador de celular). O perito ligou o aparelho e com auxílio de analisador de espectro constatou a produção de sinal de radiofrequência (RF) nas faixas utilizadas pelos serviços de móvel pessoal (SMP) correspondendo aos serviços ‘2G’ e ‘3G'”.

Em nota, Alberto Toron,  advogado do tucano, afirmou que o aparelho foi um presente, que não chegou a ser usado pelo seu cliente. “O senador desconhecia tratar-se de equipamento de uso limitado”, disse.

Veja a íntegra do posicionamento: 

“O senador Aécio Neves desconhece se o aparelho estava ou não apto para uso, uma vez que ele nunca o utilizou, assim como não utilizou nenhum outro equipamento semelhante. O aparelho foi um presente e encontrava-se guardado com outros presentes recebidos.

O senador desconhecia tratar-se de equipamento de uso limitado. Reportagens mostram o uso corriqueiro desses equipamentos em igrejas e salas de aula, o que demonstra que o mesmo não teria qualquer utilidade em uma residência particular.”

 

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *