Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Destaque Preso, Lula perde apoio, mas ainda lidera. Sem ele, Marina empata com Bolsonaro, aponta Datafolha

Preso, Lula perde apoio, mas ainda lidera. Sem ele, Marina empata com Bolsonaro, aponta Datafolha

Preso, Lula perde apoio, mas ainda lidera. Sem ele, Marina empata com Bolsonaro, aponta Datafolha
0
0

O Datafolha ouviu 4.194 eleitores em 227 municípios entre quarta (11) e sexta-feira (13). A margem de erro é de 2 pontos percentuais para cima e para baixo. Como os cenários pesquisados são diferentes dos analisados em janeiro, não é possível comparar diretamente os dois levantamentos. O levantamento também indica que aumentou a desconfiança do eleitorado sobre a viabilidade da candidatura de Lula e segue indefinida a disputa pelo espólio eleitoral do ex-presidente.

Embora a Lei da Ficha Limpa impeça a candidatura de políticos condenados em segunda instância, caberá à Justiça eleitoral dar a palavra final sobre a participação ou não de Lula na eleição. O PT pretende pedir o registro da candidatura do ex-presidente e levar a disputa judicial até as últimas consequências.

De acordo com o Datafolha, nos cenários com Lula fora do páreo, Bolsonaro e Marina aparecem empatados na liderança. Ele tem 17% das intenções de voto, e ela oscila entre 15% e 16%. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Em todos os cenários sem Lula, Ciro Gomes (PDT) alcança 9%, empatado com o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que varia de 7% a 8%, e o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que entrou no PSB, mas ainda não se lançou candidato. Barbosa oscila entre 9 e 10%.

Menos conhecidos do eleitorado, os dois nomes cotados no PT para substituir Lula se ele desistir da candidatura têm desempenho tímido: o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad aparece com 2% e o ex-governador da Bahia Jaques Wagner tem 1%.

Também do campo da esquerda, Manuela D’Ávila (PCdoB) atinge no máximo 2% e Guilherme Boulos (Psol) chega a 1%. Os dois foram homenageados pelo ex-presidente Lula momentos antes de sua prisão. Manuela e Guilherme ficaram ao lado dele durante todo o período em que permaneceu no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP).

A pesquisa mostra que o presidente Michel Temer (MDB), que flerta com a possibilidade de concorrer à reeleição, alcança 2% das intenções de voto. O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, que acaba de se filiar ao MDB, não passa de 1%.

Cenários

No cenário em que aparece com 31% da preferência, Lula é seguido por Bolsonaro, com 15% e Marina Silva, com 10%. Joaquim Barbosatem 8%, Geraldo Alckmin (PSDB), 6%, e Ciro Gomes (PDT), 5%. Alvaro Dias (Podemos), 3%. Manuela D’Ávila (PCdoB), 2%.

Bolsonaro, que liderava todos os cenários sem Lula, viu seu índice de apoio cair e tem agora a companhia de Marina, em empate técnico: ele lidera com 17%, seguido por ela com 15%, dentro da margem de erro. Ciro e Joaquim têm 9%. Geraldo Alckmin, 7%, e Alvaro Dias, 5%. Manuela D’Ávila aparece com 2%, assim como Fernando Haddad (PT) e Fernando Collor de Mello (PTC). Rodrigo Maia (DEM), Flávio Rocha (PRB), Henrique Meirelles e João Amôedo (Novo), 1%. Os demais não pontuaram. Brancos, nulos e nenhum somam 23%. Outros 3% disseram não saber em quem votar.

Lula também lidera nas simulações em que é apresentado no segundo turno. Marina bate, por 44% a 31%, Bolsonaro.

O PT tentou na Justiça, sem sucesso, impedir a divulgação da pesquisa Datafolha, alegando que ela era tendenciosa e excluía o ex-presidente dos principais cenários. Os números, porém, indicam que Lula perdeu força, mas ainda desponta como favorito para a sucessão presidencial. Seu maior desafio, além de deixar a prisão, é escapar da Lei da Ficha Limpa.

 

Congressoemfoco

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *