Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Geral Alagoas Corregedoria vai apurar conduta de policial militar que celebrou fim dos pardais

Corregedoria vai apurar conduta de policial militar que celebrou fim dos pardais

Corregedoria vai apurar conduta de policial militar que celebrou fim dos pardais
0
0

Segundo Conselho de Segurança, atitude do cabo Kleverton Ferreti – que filmou comemoração – infringe regimento da Polícia Militar de Alagoas

 

A postura do cabo da Polícia Militar Kleverton Ferreti – que divulgou vídeos em que comemora a retirada dos pardais em Maceió, chegando a dançar em cima do banco de um veículo em movimento -, foi tema de debate durante sessão do Conselho Estadual de Segurança Pública (Conseg) nesta segunda-feira (21), quando o órgão deliberativo determinou que o caso seja apurado pela Corregedoria da Polícia Militar, que terá 90 dias para se pronunciar sobre a punição ou não do militar.

Os advogados do militar tentaram encerrar o episódio justificando que Ferreti está afastado da corporação, em razão de licença especial, o que foi rejeitado pelo colegiado.  Ao final do procedimento na Corregedoria, o Conseg pode, inclusive, adotar penalidades disciplinares contra o cabo da PM-AL, a exemplo de sua prisão.

O representante da Polícia Militar com assento no Conselho de Segurança relatou que o comportamento de Kleverton é inaceitável. Em aparte, o oficial destacou que o policial militar deve ter uma postura ética e disciplinar, inclusive, nos dias de folga. “As atitudes dos militares precisam ser pautas por comportamentos previstos no regimento. Não importa se eles estejam trabalhando, de folga ou afastado de suas funções”, expôs Elias Oliveira.

Sessão do Conselho de Segurança desta segunda-feira, no Palácio República dos Palmares

FOTO: HEBERT BORGES

 

Já durante a discussão da questão da ordem apresentada pelos advogados de Ferreti, os conselheiros reforçaram que, apesar de afastado, o cabo da Polícia Militar não perdeu o porte/posse de arma de fogo e benefícios inerentes à função, razão pela qual o caso deve ser tratado na esfera do Conselho de Segurança. A licença especial do militar, de acordo com os advogados, é de cinco anos e teve início no mês de abril passado.

Na mesma sessão, os conselheiros discutiram, ainda, a possibilidade de o caso ser submetido à Corregedoria da Polícia Militar, ao invés de seguir sob análise do Conseg. O tema foi colocado em discussão e, por maioria de votos, o conselho decidiu que cabe à Corregedoria julgar a transgressão disciplinar atribuída a Kleverton Ferreti.

gazetaweb

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *