Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Geral Concursos DOENÇA CONTROLADA Candidato com diabetes não pode prestar concurso como deficiente, decide CNJ

DOENÇA CONTROLADA Candidato com diabetes não pode prestar concurso como deficiente, decide CNJ

DOENÇA CONTROLADA  Candidato com diabetes não pode prestar concurso como deficiente, decide CNJ
0
0

Uma candidata que possui diabetes tipo I não poderá participar do concurso público para servidor do Tribunal de Justiça de São Paulo na condição de deficiente. A decisão é do Conselho Nacional de Justiça, que considerou laudo médico comprovando que a doença crônica da candidata está sob controle.

“Não foi a requerente capaz de comprovar qualquer barreira social ou física para que fosse possível se beneficiar da prerrogativa legal”, afirmou o conselheiro relator, Valdetário Monteiro.

A candidata ao cargo de escrevente judiciário da 1ª Região Administrativa, 45ª Circunscrição Judiciária – Mogi das Cruzes (SP), acionou o CNJ para concorrer a uma das vagas reservadas por lei a portadores de impedimentos de ordem física, sensorial ou mental.

Em seu voto, o relator lembrou que o conceito não é definitivo ou exclusivo. Valdetário Monteiro traçou a evolução histórica da legislação, desde a Lei 7.853/89, que trata do apoio às pessoas portadoras de deficiência e sua integração social sem definir um conceito específico, até o Decreto 5.296, de 2 de dezembro de 2004, que regulamenta as leis 10.048, de 8 de novembro de 2000, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000.

“Em razão dos pressupostos legais, em um conceito abrangente, o que define a pessoa portadora de deficiência não é falta de um membro nem a visão ou audição reduzidas, mas sim a dificuldade de se relacionar, de se integrar em ambientes múltiplos de convivência.

A deficiência, assim, deve ser entendida não apenas como a constatação de uma falha sensorial ou motora, devendo-se levar em conta o grau de dificuldade para a integração social, afirmou o conselheiro em seu voto.

De acordo com o voto, ampliar demasiadamente o conceito de deficiência para abranger portadores de doenças crônicas pode acarretar prejuízo a deficientes físicos ou mentais que têm direito à reserva de vagas em concurso público na lei brasileira. Com informações da Assessoria de Imprensa do CNJ.

PCA 0009773-06.2017.2.00.0000

Conjur

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *