Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Geral Polícia Dois alagoanos de Delmiro Gouveia participaram do assalto na cidade de Milagres-CE.

Dois alagoanos de Delmiro Gouveia participaram do assalto na cidade de Milagres-CE.

Dois alagoanos de Delmiro Gouveia participaram do assalto  na cidade de Milagres-CE.
0
0

Dois alagoanos estão entre os integrantes da quadrilha desarticulada nesta sexta-feira, 7, no município de Milagres, no estado do Ceará, e que foram mortos em confronto com a polícia. Um dos reféns morto também era natural de Maceió. A informação foi divulgada na manhã deste sábado (8), pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS).

A ação policial resultou na morte de 14 pessoas, sendo oito suspeitos e seis reféns. Os integrantes alagoanos foram identificados como: Mackson Júnior Serafim da Silva, 26 anos, conhecido como “Júnior Xuré”, ele era natural da cidade de Capela, em Sergipe, mas morava em Delmiro Gouveia, no Sertão alagoano; e Lucas Torquato Reis, 18 anos, natural de Delmiro.

O refém alagoano morto foi identificado como Cícero Tenório dos Santos, 60 anos, natural de Maceió. Ele estava acompanhado da esposa, Claudineide Campos de Souza Santos, 41 anos, e do filho, Gustavo Tenório dos Santos, que também morreram durante a ação.

Segundo a polícia do Ceará, a quadrilha agia em vários estados, era especializada em ataques a instituições financeiras e preparava ataques em agências bancárias do Ceará. O grupo foi desarticulado após uma troca de informações entre as equipes de inteligência das polícias da Bahia, Ceará, Sergipe e Alagoas.

Além dos oito suspeitos mortos, três pessoas foram presas por envolvimento com a quadrilha. Robson José dos Santos, 33 anos, natural de Aracaju-SE, foi preso quando tentava fugir em uma van, na cidade de Brejo Santo- CE.

A quadrilha que tentou assaltar os dois bancos usou um caminhão para bloquear a rodovia BR-116, na altura do quilômetro 495, e fazer reféns. Com isso eles entraram na cidade e trocaram tiros com a polícia.

Entenda o caso

Por volta de 21h30 da quinta-feira (6), uma família saiu de Serra Talhada, em Pernambuco, para pegar familiares que viajavam de São Paulo para Juazeiro do Norte, no Ceará. João Batista foi junto com o filho, Vinícius, para receber a cunhada, Cleoneide; o marido dela, Cícero Bertolone; e o filho do casal, Gustavo. Uma segunda família, de Brejo Santo, no Ceará, também seguia para o aeroporto de Juazeiro do Norte para receber familiares.

As duas famílias sairam juntas, em dois veículos, de Juazeiro do Norte de volta as suas respectivas cidades, uma para Serra Talhada e outra para Brejo Santo

Durante o trajeto de volta, em um trecho da BR-116, na altura da ponte sobre o riacho Tamandu, que dá acesso à cidade de Milagres, trecho em comum para as duas famílias, criminosos usaram um caminhão bloqueando a estrada e fizeram as duas famílias reféns.

Oito pessoas, integrantes das duas famílias, foram levadas como reféns até o centro de Milagres, onde ficam as agências do Banco do Brasil e Bradesco.

Em um dado momento, pai de um homem identificado como Genário, de Brejo Santo, passou mal, e o filho pediu para que o pia recebesse cuidados, os criminosos então liberaram os dois. A irmã de Genário, Francisca Edenice, continuou como refém dos criminosos.  Outros cinco membros da família de Serra Talhada também permaneciam como reféns dos criminosos.

Policiais militares chegaram ao local e houve uma intensa troca de tiros. Catorze pessoas morreram.

Os seis reféns foram identificados como: João Batista Campos Magalhães (49), natural de Serra Talhada (PE); Vinícius de Souza Magalhães (14), natural de São Paulo (SP); filho de João Batista; Cícero Tenório dos Santos, 60 anos, natural de Maceió (AL). Claudineide Campos de Souza, 41 anos, natural de São José do Belomonte (PE) – mulher de Cícero Tenório; Gustavo Tenório dos Santos, 13 anos, natural São Paulo (SP), filho de Claudineide e Cìcero; e Francisca Edneide da Cruz Santos (49), natural de Brejo Santo (CE).

*Com informações G1/ CE

 

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *