Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Geral Saúde Infectologista desmente fake news sobre coronavírus no WhatsApp

Infectologista desmente fake news sobre coronavírus no WhatsApp

Infectologista desmente fake news sobre coronavírus no WhatsApp
0
0

Segundo professor da UFRJ, informações repassadas no aplicativo de mensagens são sensacionalistas

 

Rio – Antes mesmo da confirmação do primeiro diagnostico do coronavírus no Brasil, diversas correntes já tomavam conta do WhatsApp com informações não-oficiais sobre a doença. Um texto muito compartilhado no aplicativo contém dicas de prevenção e explicações sobre como o vírus funciona no corpo humano. O infectologista e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Edimilson Migowski, chama atenção para esse tipo de mensagem. Ele explica que as fake news podem não só alarmar a população como também ajudam a propagar diversas doenças infecciosas, não só o coronavírus.
O primeiro ponto abordado no texto divulgado no WhatsApp é a dificuldade na respiração. A sugestão dada para identificar problemas pulmonares que podem ser causados pela doença é observar se há incômodo ao prender o fôlego durante dez segundos. A proposta é atribuída à especialistas de Taiwan em como lidar com o novo vírus.
“Essa é uma técnica grosseira e insensível de enfrentar o problema. Além disso pode tirar o foco principal na prevenção que é a higienização das mãos”, explica.
O coronavírus se espalha quando a secreção de uma pessoa doente entra em contato com os olhos, narinas ou boca de uma pessoa saudável. O vírus também pode se instalar em objetos tocados por pessoas infectadas e permanecer nesses objetos por até duas horas. Por isso, é importante lavar bem as mãos e não tocar em nenhuma parte do rosto antes de estar com elas higienizadas.
O segundo conselho repassado é apresentado como uma ideia de médicos japoneses e chama atenção para a necessidade de manter a boca úmida. Para isso, a recomendação dada é beber água a cada quinze minutos.
“Mesmo que o vírus entre em sua boca, beber água ou outros líquidos o levará pelo esôfago e pelo estômago. Uma vez lá na barriga, seu ácido do estômago matará todo o vírus. Se você não beber água suficiente com mais regularidade o vírus pode entrar nas traqueias e nos PULMÕES. Isso é muito perigoso!”, diz o texto.
Edimilson Migoswki diz que a informação é sensacionalista e explica como o vírus funciona e se instala no corpo. “Beber bastante líquido é importante, mas isso não vai ajudar e vai dar uma falsa sensação de segurança. O vírus pode entrar pela mucosa, chegar na circulação sanguínea e atingir os pulmões”, explica.
Os sintomas da doença são febre, tosse seca, dor de garganta e coriza.
Primeiro caso de coronavírus no país
O primeiro paciente com a doença no Brasil foi diagnosticado na manhã de terça-feira, na Capital de São Paulo. O homem de 61 anos, esteva na Itália, entre os dias 9 e 21 de fevereiro, país que também é foco de contaminação da doença.
Ele procurou atendimento médico no Hospital Albert Einstein, na unidade do Morumbi, com sintomas semelhantes aos da Covid-19. A infecção viral foi constatada após a contraprova e depois o caso foi notificado à Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo.
Segundo o hospital, a equipe assistencial do Pronto Atendimento seguiu com rigor todos os protocolos
estabelecidos pelo Ministério da Saúde, Organização Mundial de Saúde (OMS) e Centers for Disease Control and Prevention (CDC-EUA), para oferecer o atendimento apropriado e garantir a segurança do paciente e de todos os profissionais envolvidos.
Após atendimento médico, foi constatado que o paciente encontra-se em bom estado clínico e sem necessidade de internação, permanecendo em isolamento respiratório, em casa, que será mantido durante os próximos 14 dias. Ainda de acordo com a nota da do Hospital Albert Einstein, a equipe médica segue monitorando-o ativamente, assim como as pessoas que tiveram contato próximo com ele.
Nesta quarta-feira, uma coletiva foi realizada pelo Ministério da Saúde para esclarecer dúvidas sobre o paciente. Segundo as informações da pasta, o paciente recebeu 30 familiares em uma reunião em sua residência. Todos estão sendo acompanhados.
Texto compartilhado no Whatsapp

“O novo coronavírus pode não mostrar sinais de infecção por muitos dias, como saber se está infectado. Quando tiver febre e / ou tosse e ir ao hospital, os pulmões geralmente têm 50% de fibrose e é tarde demais!

Os especialistas de Taiwan fornecem uma autoavaliação simples que podemos fazer todas as manhãs:

Respire fundo e prenda a respiração por mais de 10 segundos. Se você completá-lo com sucesso sem tossir, sem desconforto, congestão ou aperto etc, isso prova que não há fibrose nos pulmões, basicamente indicando que não há infecção.

Em tempos críticos, verifique todas as manhãs em um ambiente com ar limpo!

CONSELHOS EXCELENTES SÉRIOS por médicos japoneses que tratam casos de COVID-19. Todos devem garantir que sua boca e garganta estejam úmidas, nunca SECA. Tome alguns goles de água a cada 15 minutos, pelo menos. PORQUE? Mesmo que o vírus entre em sua boca … beber água ou outros líquidos os lavará pelo esôfago e pelo estômago. Uma vez lá na barriga … seu ácido do estômago matará todo o vírus. Se você não beber água suficiente com mais regularidade … o vírus pode entrar nas traquéias e nos PULMÕES. Isso é muito perigoso.
Pode enviar e compartilhar com a família, amigos e todos sobre isso! Tome cuidado com todos e que o mundo se recupere do vírus corona em breve”

O DIA

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *