O delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira, decidiu apurar a intervenção policial ocorrida no município de Girau do Ponciano, em uma tentativa de assalto a uma agência bancária no dia 02 de setembro de 2019.A portaria que designa a investigação para apurar a ação policial foi publicada, no Diário Oficial, no mesmo dia das exonerações dos delegados Fábio Costa e Thiago Prado, na última sexta-feira (6), e designa, em caráter de urgência, que o delegado Guilherme Iusten apure os homicídios decorrentes na ação.

Na referida ação, nove suspeitos morreram durante o confronto com a polícia e outros dois foram presos. Uma grande quantidade de material explosivo e armas de grosso calibre foram apreendidas.

Denominada “Apocalipse”, a operação foi efetuada pela Divisão Especial de Investigação e Captura (DEIC) e pelo Batalhão de Operações Especiais (BOPE).  Os militares atuaram sob o comando do delegado Cayo Rodrigues, mas os delegados Fábio Costa e Thiago Prado, recém-exonerados da Deic, também participaram da operação.

No dia 3 de setembro, dois dias após o confronto na cidade do Agreste, a cúpula da Secretária de Segurança Pública alagoana (SSP/AL) reuniu a imprensa em uma coletiva para informar detalhes da operação.  Segundo informações passadas na ocasião, o grupo criminoso era formado por cerca de 10 pessoas e vinha sendo investigado. Os criminosos seriam os responsáveis por duas explosões em agências bancárias na cidade de Porto Calvo, em fevereiro do ano passado, e pretendiam fazer o mesmo em Girau do Ponciano na madrugada do dia 02 de setembro, quando foram surpreendidos pela polícia.

Não se sabe se as exonerações dos delegados têm alguma relação com a decisão de investigar a ação em Girau do Ponciano. Fábio Costa e Thiago Prado foram exonerados após se posicionarem contra a portaria da Delegacia Geral da Polícia Civil que regulamenta a concessão de entrevistas ou a divulgação de conteúdo à imprensa por parte de delegados e agentes, publicada no último dia 2 de março.

A assessoria da Polícia Civil informou que portaria não é nova e que na época, logo após o fato, foi criada uma comissão composta por três delegados para apurar o ocorrido e havia um prazo para a conclusão do inquérito.

Ainda de acordo com a assessoria da PC, como a delegacia local e a regional não conseguiram concluir o inquérito no prazo determinado, cabe a Delegacia Regional de Arapiraca, que incluí a cidade de Girau do Ponciano, concluir as investigações e, por isso, a portaria foi publicada novamente.

A PC ainda ressaltou que o fato da portaria ter sido publicada no Diário Oficial do dia 06, tem a ver somente com a questão do prazo para a conclusão do inquérito e que não há nenhuma relação com os últimos acontecimentos envolvendo delegados, mudanças ou outras decisões da entidade.