Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Geral Brasil Novo ministro da Educação teria cometido plágio em dissertação de mestrado na FGV

Novo ministro da Educação teria cometido plágio em dissertação de mestrado na FGV

Novo ministro da Educação teria cometido plágio em dissertação de mestrado na FGV
0
0

A dissertação de mestrado que o novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, apresentou à Fundação Getulio Vargas (FGV) em 2008 tem trechos idênticos aos de um relatório da CVM do mesmo ano. O relatório, porém, não foi citado por Decotelli nem sequer consta da bibliografia, o que indicaria uma prática de plágio.

O professor Thomas Conti divulgou a comparação entre os documentos em seu perfil no Twitter na madrugada deste sábado (27).

De acordo com o site O Antagonista, o parecer da CVM data de fevereiro de 2008. É sobre o Banrisul, objeto da dissertação de Decotelli, Banrisul: do Proes ao IPO Com Governança Corporativa. O texto está disponível no site do banco.

Um dos pontos destacados pela publicação está na página 27 do relatório da CVM: “[a] abrangência dos pontos de atendimento e a ampla base de clientes são vantagens agregadas a um diferencial exclusivo: o Banricompras, o maior cartão de marca própria do Brasil”.

Decotelli registrou no mestrado: “[a] abrangência dos pontos de atendimento e a ampla base de clientes são vantagens agregadas a um diferencial exclusivo: o Banricompras, o maior cartão de marca própria da América Latina”.

O relatório da CVM também diz: “[m]ais forte e rentável, com uma gestão adequada e transparente, o Banrisul segue a passos firmes no propósito de ganhar posições de destaque no cenário nacional”.

Decotelli registrou texto bem parecido: “[m]ais forte e rentável, com uma gestão adequada e transparente, o BANRISUL segue no propósito de ganhar posições de destaque no cenário econômico-financeiro nacional”.

A dissertação de mestrado do novo ministro também tem trechos idênticos aos do artigo Mudança e estratégia nas organizações: perspectivas cognitiva e institucional, publicado no livro Administração contemporânea: perspectivas estratégicas em 1999.

Doutorado

O novo minitro da Educação se envolveu primeiramente em uma polêmica a respeito de seu título de doutor. Na noite desta sexta-feira (26), o reitor da Universidade Nacional de Rosario, Franco Bartolacci, afirmou que Decotelli não concluiu o doutorado em Administração pela instituição argentina — diferentemente do que consta do currículo do novo ministro disponível na plataforma Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). De acordo com Bartolacci, Decotelli teve a tese reprovada.

Após a repercussão do caso, Decotelli alterou o currículo disponível na plataforma Lattes.O campo “Título” foi preenchido com “Créditos concluídos”. E, no campo “Orientador”, passou a ser listado: “Sem defesa de tese”.

REDAÇÃO FOLHAPRESS

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *