Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Geral Justiça PREVENÇÃO À COVID-19 Alagoas é o 3º estado do país com menos casos entre reeducandos

PREVENÇÃO À COVID-19 Alagoas é o 3º estado do país com menos casos entre reeducandos

PREVENÇÃO À COVID-19 Alagoas é o 3º estado do país com menos casos entre reeducandos
0
0

Levantamento do CNJ atesta que apenas 0,9% da população carcerária testou positivo; sistema prisional alagoano também figura entre os sete que não registram óbito entre custodiados

O Nordeste é a segunda região do país com mais casos confirmados de reeducandos com coronavírus e a primeira em casos de servidores contaminados. Na contramão dessa estatística, Alagoas figura como o terceiro estado com menos custodiados contaminados, totalizando 0,9% da população atual de presos recolhidos nas unidades prisionais, de acordo com o mais recente boletim informativo do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas do Conselho Nacional de Justiça (DMF/CNJ), divulgado esta semana.

São 44 reeducandos infectados e 11 casos suspeitos. Porém, a assistência ofertada pelos profissionais de saúde do sistema prisional põe Alagoas entre os sete estados que não registram óbito de nenhum reeducando por coronavírus. Já entre os servidores, são 125 casos confirmados, 292 descartados e outros 31 sob investigação, além de três óbitos.

Mas as medidas adotadas pela Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) para combater o avanço da pandemia têm surtido efeito, como demonstrado no levantamento do CNJ. Afinal, já são 42 os reeducandos que, submetidos a tratamento no hospital de campanha do sistema prisional, conseguiram se recuperar da doença, refletindo, assim, o empenho da secretaria em preservar vidas, como atesta o titular da Seris, coronel PM Marcos Sérgio de Freitas.

“Vamos seguir sempre com muita cautela. Infelizmente, colegas de outros estados demoraram a agir e não conseguiram evitar o avanço da Covid-19 nas penitenciárias. Em Alagoas, perdemos três servidores para o vírus, mas não temos registro de óbito entre os custodiados, e isso é fruto do trabalho que vem sendo feito no sentido de resguardar a saúde de todos”, avalia o secretário, destacando ações como a higienização contínua de todas as unidades prisionais e a distribuição regular de máscaras e álcool 70%.

Some-se a isso o cuidado também dispensado ao preso desde o momento em que ingressa no sistema prisional. Quando apresenta sintomas de síndrome gripal, sendo ao menos um respiratório, o reeducando é imediatamente isolado por 14 dias, conforme protocolo de prevenção ao coronavírus.

Ele então é submetido a dois testes, um que detecta se está contaminado e outro que revela se já teve a Covid-19. Após o período de isolamento, o reeducando é avaliado por uma equipe multidisciplinar composta, inclusive, por médico infectologista, que decide se o apenado deve continuar no hospital de campanha ou retornar para a unidade de origem.

Com capacidade para receber até 34 pacientes, o hospital foi instalado nas dependências do antigo Presídio Feminino Santa Luzia e já passa por reforma para, em breve, ganhar mais 30 vagas. Já são cerca de 400 atendimentos mensais.

A Seris vai implantar, ainda, uma barreira sanitária para auxiliar os profissionais de saúde na medição de temperatura de servidores, advogados, familiares de reeducandos e demais pessoas com acesso autorizado ao sistema, o que irá permitir a retomada gradativa e segura de rotinas carcerárias que precisaram ser suspensas em função da pandemia, a exemplo das visitas.

Limpeza

Outro fator determinante diz respeito à contribuição dos próprios reeducandos, conscientes da importância de medidas como o isolamento. Na oficina de saneantes, por exemplo, os custodiados responsáveis pela produção de desinfetante e sabão em barra, entre outros materiais de limpeza, dão uma aula de consciência ambiental com o reaproveitamento de óleo de cozinha saturado, fortalecendo a luta contra a pandemia.

“Além de contribuir com a limpeza das unidades, os reeducandos da oficina de corte e costura do Presídio do Agreste, em Girau do Ponciano, vêm confeccionando, em média, duas mil máscaras de proteção por dia. Todo o material é distribuído entre servidores e custodiados, reforçando a prevenção ao coronavírus”, relata a policial penal e gerente de Educação, Produção e Laborterapia, Cinthya Moreno.

Fisioterapia

E a Gerência de Saúde da Seris também oferta, inclusive, fisioterapia respiratória a servidores e reeducandos que contraíram o coronavírus, auxiliando-os decisivamente no processo de recuperação da doença. Fisioterapeuta da Seris, Felipe da Silva explica que o atendimento começa com uma avaliação por meio da qual é feito um diagnóstico cinético funcional, momento em que se define o programa de reabilitação adequado.

Com o diagnóstico, o profissional então inicia o tratamento, que é composto por uma sequência de exercícios que tem como finalidade o fortalecimento da musculatura respiratória, de modo a desobstruir os pulmões. A atividade também melhora o aparelho locomotor e a resistência cardiovascular, comumente comprometidos pela doença.

Ainda segundo o fisioterapeuta, muitos pacientes submetidos ao tratamento já receberam alta e retomaram as atividades diárias. “Já conseguimos constatar o alcance do nosso trabalho mediante a evolução dos pacientes”, relata Felipe, acrescentando que o atendimento dos reeducandos ocorre de segunda à sexta-feira, nas próprias unidades prisionais, enquanto que, para o servidor, as sessões acontecem nas terças e quintas, na sala de praxiterapia do Centro Psiquiátrico Judiciário (CPJ).

Trabalho presencial

E considerando a evolução das fases do distanciamento social controlado, conforme matriz de risco adotada pelo Governo de Alagoas para combater a Covid-19, a Seris vai retomar, na próxima segunda-feira (27), o trabalho presencial para servidores da área administrativa, seguindo com todas as medidas de prevenção já conhecidas.

Todos os setores passaram por novo processo de desinfecção. Cada servidor receberá duas máscaras de proteção e será submetido ao teste rápido, na sede da secretaria, conforme horário previamente estabelecido pela Gerência de Saúde. O expediente, por sua vez, foi reduzido (das 8h às 14h), não havendo, por ora, atendimento ao público.

Agência Alagoas

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *