Ambulâncias_728x90
vida_nova_728x90
Home Geral Brasil VÍDEO:Novo normal policiais agridem jovens durante atendimento a ocorrência após jovens reclamarem que era covardia em SC

VÍDEO:Novo normal policiais agridem jovens durante atendimento a ocorrência após jovens reclamarem que era covardia em SC

VÍDEO:Novo normal policiais agridem jovens durante atendimento a ocorrência após  jovens reclamarem que era covardia em SC
0
0

Abordagem ocorreu durante uma festa que acontecia irregularmente em Guabiruba, no Médio Vale do Itajaí, no fim de semana

Um vídeo que mostra jovens sendo agredidos por policiais militares repercute em Santa Catarina no início desta semana. Nas imagens — feitas por participantes de uma festa que ocorria irregularmente em Guabiruba, no Médio Vale do Itajaí — é possível ver PMs batendo em um dos homens que estava no local, mesmo sem que ele esboçasse ameaça. O motivo teria sido o fato de um dos envolvidos ter falado a palavra “covardia”, sobre a ação dos agentes. O caso será alvo de um inquérito policial.

A gravação, feita durante o atendimento a uma ocorrência de uma festa que acontecia em uma chácara no interior do município, foi publicada pelo jornal Guabiruba Zeitung, e confirmada pelo Santa. Vizinhos ligaram para o 190 tanto pela aglomeração de pessoas, o que desrespeita os decretos municipal e estadual, quanto pela perturbação do sossego alheio.

O vídeo mostra que em um determinado momento um dos participantes diz “covardia”. Imediatamente um PM questiona: “quem falou que é covardia?”. Um agente, então, se aproxima de um dos jovens e o agride com um soco na barriga.

Os PMs continuam questionando quem teria falado a palavra, quando um segundo policial agride outro participante da festa, dando um golpe com o fuzil. “Quer debochar? Então vamos brincar, então. A gente também sabe brincar”, é a fala que é possível ouvir no fim do vídeo.

De acordo com o comandante do 18º Batalhão de PM de Brusque, Otávio Manoel Ferreira Filho, um inquérito policial será aberto para apurar o comportamento dos policiais nessa ocorrência. Já houve, inclusive, um pedido do Ministério Público Militar (MPM) para investigar a ação. Segundo Ferreira Filho, os três PMs que participaram da abordagem serão ouvidos nesta terça-feira (4), e que embora tenha havido desrespeito, “nada justifica a agressão”:

— Não acredito que deveria chegado àquele nível, já que não houve agressão contra os policiais, e sim um desrespeito à autoridade. Para o policial chegar naquele ponto, é preciso haver ameaça ou uma agressão. Mas nada é por acaso. Se a PM esteve no local, é porque havia uma festa, havia perturbação do sossego, aglomeração de pessoas, e até drogas.

O comandante da PM de Brusque completa:

— A PM foi ali por chamada por vizinhos. Já é um local contumaz [conhecido] de perturbação do sossego. Não é a primeira vez que a PM bate ali naquela chácara durante o período da pandemia. Quando os policiais chegaram, alguns correram para o mato e, reforço, a ação não foi por acaso. Não estou dizendo que justificam [as agressões], mas as pessoas deram causa para o aumento da energia — afirma o comandante.

https://www.nsctotal.com.br/

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *