Home Geral Cultura Encontrada vagando em comunidade há cinco meses, modelo alagoana está internada e não recebe visitas da família por falta de dinheiro

Encontrada vagando em comunidade há cinco meses, modelo alagoana está internada e não recebe visitas da família por falta de dinheiro

Encontrada vagando em comunidade há cinco meses, modelo alagoana está internada e não recebe visitas da família  por falta de dinheiro
0
0

Passados cinco meses de sua apreensão pela polícia civil do Rio, que a encontrou vagando transtornada pelas vielas do Morro do Cantagalo, na Zona Sul da cidade, a modelo internacional Eloisa Simões segue em tratamento para dependência química.

Ela foi internada numa instituição pública em Maceió, Alagoas, no dia 31 de dezembro. Segundo um dos irmãos de Eloisa, Samoel Fontes, não há uma previsão de alta ainda. “Ela está bem. Mas a gente só vai saber mesmo se ela melhorou quando tiver convívio, né? Agora ela ainda está se curando”, diz ele.

Em janeiro, o perfil que Eloisa mantinha no Facebook foi alterado e suas fotos deletadas. De acordo com outra irmã da modelo, Sara Fontes, o tratamento de Eloisa ainda pode demorar muito, mas ela não está muito disposta a continuar isolada. “O estado dela ainda é muito instável. Ela nem melhora nem piora. Mas ela quer sair de lá, quer voltar a fumar… Ninguém sabe o que ela tem ou sabe o que ela quer”, relata.

Eloisa Fontes: internada para reabilitação
Eloisa Fontes: internada para reabilitação Foto: reprodução/ facebook

A modelo foi liberada do Hospital Pinel, no Rio, quando sua mãe a buscou, no fim de outubro do ano passado. As duas só conseguiram voltar para Piranhas, cidade natal da modelo, através da ajuda de amigos que abriram uma vaquinha para ela.

 

De acordo com Samoel, no estado que a irmã estava não daria para mantê-la fora de um hospital: “Do jeito que ela se encontrava, não podia ser coisa de poucos meses. Por isso ainda está lá”, justifica ele, que evita falar sobre o local da internação pela segurança da irmã.

Eloisa Fontes: internada para reabilitação
Eloisa Fontes: internada para reabilitação Foto: reprodução/ facebook

Ele diz ainda que visitas são permitidas, mas que a família não possui dinheiro para ir até a capital encontrar Eloisa: “Não temos dinheiro para isso. Só sabemos dela por ligação mesmo”.

 

Com extra.globo

 

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *