Home Destaque Drones vão “dar choque” em nuvens para fazer chover mais nos Emirados Árabes

Drones vão “dar choque” em nuvens para fazer chover mais nos Emirados Árabes

Drones vão “dar choque” em nuvens para fazer chover mais nos Emirados Árabes
0
0

Cientistas dos Emirados Árabes Unidos e também da Universidade de Reading, na Inglaterra, trabalham em um projeto que pretende usar drones para tentar fazer com que chova mais no país desértico e conhecido por suas altas temperaturas. A ideia é utilizar os pequenos veículos voadores para “dar um choque” e alterar a carga elétrica das gotículas de chuva das nuvens.

“Equipados com uma carga útil de instrumentos de emissão de carga elétrica e sensores personalizados, esses drones voarão em baixas altitudes e fornecerão uma carga elétrica às moléculas de ar, o que deve estimular a precipitação”, afirma Alya Al-Mazroui, diretora do programa de pesquisa científica para intensificação da chuva nos Emirados ao Arab News.

PUBLICIDADE
Drone multicopter sobrevoando a paisagem urbana de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Imagem: phoelixDE/Reprodução/Shuttershock
Drone multicopter sobrevoando a paisagem urbana de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Imagem: phoelixDE/Reprodução/Shuttershock

Desde 2017, o governo dos Emirados Árabes já investiu mais de US$ 15 milhões em diferentes projetos – nove ao todo – voltados a iniciativas que expandam a média de 100 mm anuais de chuva por lá. Para efeito de comparação, a média de pluviosidade em São Paulo é de 1356 mm.

A ideia para fazer chover mais se junta a outro projeto tecnológico em andamento com o mesmo objetivo: a “semeadura de nuvem”. Para mudar o cenário considerado drástico de escassez de água no país, o governo local deposita grãos de sal nas nuvens para estimular a condensação e criação de nuvens.

Muitas nuvens, pouca chuva

Maarten Ambaum, um dos cientistas à frente da construção dos drones, explica que há nuvens de sobra nos Emirados Árabes, apesar da pouca expressividade (e cada vez menor) do lençol freático.

O professor explica que objetivo da ação é unir gotas a ponto de torná-las grandes o suficiente para que caiam, a exemplo do que a eletricidade estática faz com “cabelo seco e pente”.

Por ora, os pesquisadores aguardam a revisão do estudo científico em que detalham a tentativa de “dar choque” nas nuvens para estimular chuva. A expectativa é de que, quando isso acontecer, os cientistas recebam financiamento para utilizar uma aeronave maior para facilitar o trabalho.

Fonte: BBC

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *